VIOLÊNCIA: EPIDEMIA NAS ESCOLAS BRASILEIRAS

 

 

                                                                               Maria Severiana de Albuquerque

mseveriana177@gmail.com

RESUMO

 

              A educação nos últimos anos esta vivenciando um dos maiores desafios enfrentado nas escolas brasileiras: A violência, que vem colocando em xeque o papel da escola e do professor. Esta pesquisa de característica investigativa documental tem como objetivo de mostrar as principais causas do aumento da violência dentro de mossas escolas e suas conseqüências a fim de alertar a sociedade é aos órgãos competentes que essa epidemia já é um fator preocupante.

 

 

Palavras-Chave: Educação, Escola, Violência

 

 

  1. ITRODUÇÃO

 

            Esse artigo tem como base de investigação de buscar analisar as causas da violência dentro das escolas brasileiras, a fim de identificar quais os fatores que favorecem para o aumento dessa epidemia nas nossas escolas.

            Sem sombras de dúvidas é mais que evidente que atualmente as escolas brasileiras vêm sendo um palco de varias manifestações de agressões geradas pela própria comunidade escolar entre os estudantes e esses abusos vai mais além, agressões até mesmo contra os docentes. Esse estudo vai assinalar as possíveis causas que provocar esse efeito em cadeia no cenário educacional.

            O aumento do índice de violências nas escolas como aponta a UNESCO está assustoso, as escolas já deixaram de ser um ambiente seguro, para ser tomar um do mais perigoso até mais que a rua. Vários estudantes são agredidos diariamente por colegas, que coagidos não denuncia o ato sofrido o que gera mais ação de violências dentro do estabelecimento escolar. As ações que provoca o desenvolvimento das violências nas escolas são diversas sendo uns mais destacados são; Bullying entre os colegas, às vezes esse fator pode surgir silenciosamente através de ações até mesmo muitas vezes inofensivas que mais tarde se transforma em descriminação, quer de caracteres sociais ou raciais que originam problemas sérios de ordem psicológica nas crianças e adolescentes que vêm sofrendo esse tipo de violências nas escolas. Porém, a porcentagem dentro das escolas que não podemos afirmar, que seja a causa, mas é um indicador negativo que encadeia a violência dentro de nossas escolas, está o tráfico de drogas com porcentagem média de 40% de acordo com a pesquisa realizada pela UNESCO, 2016. De acordo com essa pesquisa na opinião dos docentes que atuam na rede publica de ensino atribui o uso de drogas o aumento da violência nas escolas.

        A presença de drogas no ambiente escolar vai proporcionar diretamente a um ciclo de violência que vai provocar conseqüência gravíssima na escola, entre outras, estão à agressividade contra os professores que de acordo com a UNESCO atinge o índice de 50%. Isso é um sinal de que as escolas estão no extremo abandono pelos órgãos competentes, Os professores brasileiros são de maneira geral, pouco valorizado, renumeração baixa, situação de trabalhos precários, toda essa descrição são apenas detalhes simples do que é uma rotina dos docentes brasileiros.  

       As escolas brasileiras ainda sofrem outro tipo de abusos, como a depredações das escolas, roubos. Entre outros que apontam um índice estimado nas casas dos 65%. O ambiente escolar que tem o papel de formador de cidadãos, hoje esta sendo um palco para o desrespeito, a desvalorização para com o outro, a escola vem perdendo terreno para toda essa problemática da epidemia social, a intolerância dos estudantes que gerar uma agressividade sem limite que coagi as escolas a levarem situações como essas ou até mesmos piores como “normais”.

       Ma o que motiva toda essas cadeias de problemáticas para dentro das escolas? Todos os problemas vivenciados dentro dos muros das nossas escolas têm duas raízes. A desestruturação familiar é o reflexo social.

Primeiro que, o desequilíbrio familiar é um dos principais motivos da violência, pois os estudantes vêm para as escolas com “N” fatores de problemas muitas vezes provocados para a carência do âmbito familiar ou até mesmo vítima de violência domestica, esses estudante trazes seus problemas para dentro das escolas que por sua vez não está preparada para receber ou lida com situações do cotidiano de seu alunato, isso é uma falha da realidade de muitas escolas brasileiras.

Com relação ao reflexo social, embarca a violência vivenciada na sociedade na contemporaneidade, isso sem sombras de duvidas é um fator que influência o padrão social da formação dos nossos estudantes que vivem situações talvez de extrema violência em sua comunidade como área de vendas de drogas, abusos, roubos, enfim. Esses fatores influenciam negativamente esses estudantes que no ambiente escolar já traz sua característica própria, sua bagagem de vida, experiência negativas de sua realidade.

As escolas de um modo geral também se tornam vítimas do reflexo da nossa sociedade, pois ela não é um espaço inume, pelo contrário as escolas elas representam a realidade social, cultural da comunidade é da sociedade onde ela está inserida, isso não implica que os problemas sejam diferentes, na realidade são os mesmos problemas o que o diferem de uma comunidade escolar para outra são a gravidade do índice das violências no espaço escolar. O grau da violência dentro das escolas depende de “X” fatores como, por exemplo, se uma escola esta inserida em uma comunidade de tráfico de drogas ou até mesmo perto de áreas de vendas de entorpecente isso pode se torna um grande problema para a escola.

As escolas devêm tornar posições contra as ações negativas dentro de seu ambiente, trabalhando a realidade seus estudantes, projetos é programas educacionais que favoreçam a socialização das famílias dos estudantes com a escola, as escolas devem trabalhar com uma relação comunidade/escolar.

 

 

  1. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

 

A violência já se tornou uma evidência absurda das realidades das escolas brasileiras, independente da comunidade onde a escola está inserida, rural ou urbana, a violência é um fator negativo acentuado da rotina escolar. Para alguns pensadores que colocar a violência como um fator não natural do comportamento de uma determinada sociedade, para Durkheim que interpreta esse fator como: “Não há fenômeno que apresente de maneira mais irrefutável todos os sintomas da normalidade, dado que aparece como estreitamente ligado às condições de qualquer vida coletiva” (Durkheim 2003, p.82-83). A violência é colocada por Durkheim como uma conseqüência da própria vida social, então a sociedade também poderá colocar de uma forma cultural a ação não-violência.

 A realidade da sociedade em que cada um nós estamos inserido, diretamente e indiretamente sofremos influências das ações vivenciadas nas experiências cotidianas. Essas “experiências” trazidas pelo alunato para dentro do ambiente escolar que acaba provocando esse desequilíbrio que vivenciamos atualmente nas escolas brasileiras. Quando essa epidemia social entrar nas escolas é importante que haja um trabalho minucioso é de cunho participativo não apenas da escola-estudante, mais uma inter-relação escola-estudante-comunidade é família. 

 

A violência entre alunos constrói-se em torno de duas lógicas complementares: de um lado, encenação ritual e iludida de uma violência verbal e física de outro, engajamento pessoal em relação de força, vazias de qualquer conteúdo preciso, exceto o de fundar uma percepção do mundo justamente em termos de relações de forças. Nos dois casos, o que está em jogo e a construção e a auto-reprodução de uma cultura da violência. (LUCINDA, 1999, p. 32)

 

 

A escola precisa romper com essa cultura de violência, porém, ela não pode trabalhar isoladamente, mais requer um trabalho em conjunto com outras escolas, órgãos competentes a fim de banir esse índice negativo que a cada dia que passa vai tomando uma proporção cada vez mais alarmamente. Segundo a autora CHAUÌ, 1998. pp.33. Que afirma “A violência é um ato de brutalidade, sevícia e abuso físico e/ ou psíquico contra alguém e caracteriza relações intersubjetivas e sociais definidas pela opressão e intimidação, pelo medo e o terror.” Essa epidemia da violência nas escolas já se tomou uma conseqüência de problemas de inadequação social, a escola precisa muda a sua postura a fim de criar estratégia que auxilie que o corpo escolar se aproxime mais da realidade de seu educando com a finalidade de diminui a proliferação dessa epidemia no ambiente escolar.

De acordo com pesquisas realizadas recentemente mostra índice assustadores de violências dentro das escolas que vai de alunos para alunos como também abuso sofrido pelos docentes de vários níveis que vai desde agressões verbais até de caracteres físico.

 

O campo de acção do educador social é "os sectores sociais em desequilíbrio (…) além de solucionar determinados problemas próprios da inadaptação, tem duas funções não menos importantes: a primeira, desenvolver e promover a qualidade de vida de todos os cidadãos; a segunda, adoptar e aplicar estratégias de prevenção das causas dos desequilíbrios sociais. Noutras palavras, apesar das relações entre educação social e marginalização serem evidentes, com a marginalização não se esgota o âmbito da educação social". (Petrus, 1997: 27)

 

 

Um dos problemas mais graves que afeta diretamente a maioria das escolas é o trafico de drogas, segundo Machado que aponta:

 

 Os problemas relacionados ao tráfico e utilização de drogas, registrados nas instituições escolares crescem e se agravam a cada dia. Os alunos usuários de drogas apresentam prejuízos no rendimento escolar, saúde, relação familiar, além de estarem mais propensos a distúrbios psicológicos. (2008, p.149)

 

A droga infelizmente já se tornou um fator negativo com alto índice de recorrência dentro das escolas, o que gera ainda mais a violência entre escola, professor e aluno. Além de trazer conseqüência para o ambiente educacional como às brigas de gangues por vendas de entorpecente, influência para os demais alunos que acabam se envolvendo com o uso de drogas e armas de fogo. Sem corta que esse problema acaba também proliferando morte nas escolas, segundo Silva, em uma matéria sobre uma ocorrência de um assassinato de um jovem na escola publica que foi publicado no Jornal O Popular:

 

 

 Dados do Batalhão Escolar da Policia Militar, revelam que, até setembro deste ano, foram registradas 609 ocorrências de uso e trafico de drogas, ameaças, furto se brigas, entre outros tipos de delitos, dentro de colégios Públicos e Particulares localizados em Goiânia. (2008, p.2).

 

É inegável que essa epidemia vem assolando gradativamente o campo educacional é os motivos é as razões que causa tal impacto são inumeráveis que vai desde as brincadeiras mais simples que acabam gerando discriminação como o Bullying, como as mais graves como as drogas nas escolas. A pesar de tanta violência dentro das escolas a raiz de tanto problemas está associada ao desequilíbrio familiar. A escola devem se vestir com uma nova postura, ou seja, para minimizar tanta agressividade de violência em independente do nível da problemática a escola precisa esta a preparada para apóia e ajuda os seus estudantes, pois se a escola não se conscientiza da verdadeira realidade em que seu corpo escolar está vivenciando tornar impossível resolve o índice de violência dentro da escola.

       O importante é que para solucionar o problema não é toma a postura de expulsar ou castigar estudantes, que participam ou/ influenciam o ato dentro do estabelecimento educacional, pois deixo claro através desse estudo que esse tipo de atitude não diminuir a violência dentro das escolas, mas pelo contrario. Com essa posição a tendência é contribuir para o aumento do ato da violência.

            A escola tem um papel importantíssimo para a formação de sujeito para uma vida social, umas das possíveis soluções para a diminuição dessa epidemia, primeiramente que cada escola precisa conhece a sua comunidade é através de atitude de caráter educativo que possa envolve os estudantes em aulas mais práticas é sociais, a fim de envolver seus estudantes em projetos ou em programas de reeducação. Projetos que também venham a contribui com que os estudantes valorizem e respeito a diversidade cultural,social,racial dentro da escola.Pois a escola não é apenas o escola,a escola é diversidade,um espaço que se caracteriza não apenas em transmitir saber,mais que ensina para a vida,para a realidade de sua comunidade que prepara para que seus estudantes sejam aptos a viver em civilidade,expondo a suas opiniões e aceitando o mundo e sua realidade como parte de uma sociedade.O principal,é que a escola possa trabalhar em conjunto com a sua comunidade e com a familiar de seu alunato.

 

  1. METODOLOGIA

Esse estudo tem característica de pesquisa qualitativo-quantitativa.

Descritiva é documental, com duas etapas de procedimentos.

  1. Etapa: analise dos documentos (dados) de pesquisas realizadas recentes pelo campo educacional;
  2. Etapa; esquematizar os achados e analise dos resultados

 

  1. RESULTADOS E DISCUSSÕES

 

TABELA. 01 Causa da violência dentro do ambiente escola: dados atuais (25 de março de 2016) Revista ÉPOCA

Roubo/furto

25%

Verbal/física

42%

Drogas

40%

Agressividade ao corpo docente

50%

 Agressão de alunos para aluno

 65%

 Agressão de Professor para aluno

 15%

 Ameaças dentro da escola

 21%

Agressões em sala

 25%

Agressões no pátio

 22%

Insegurança

 15%

             

     Com base na tabela 01 acima é inegável desconsiderar que o ambiente educacional, antes considerado um lugar seguro, formador de cidadãos, de conscientizar de valores culturais e sociais, hoje de acordo com pesquisas realizadas no campo educacional, atribuem que a escola se tornou um lugar inseguro, sobretudo ambiente que engloba vários tipos de violências. Os índices são assustadores. De acordo com a tabela 01, que aponta alguns problemas vivenciados pela escola brasileira, Considerando que, esse índice é variável de escola para escola. O que vai contribuir para o aumento da violência na “escola”, sobretudo o ambiente onde a escola esta inserida, a sua realidade. De um modo geral, todas as escolas sem inserção são vitimas dos tipos de violências descrito na tabela 01, uma com mais ou menos gravidades.

 

                            TABELA. 02 Fatores recorrentes de brigas nas escolas

Bullying

Discriminação social/racial

Ameaças

Xingamentos (confundido com brincadeiras)

Orientação sexual (violência de gênero)

 

           

A tabela 02 aponta algumas das principais causas de violências dentro das escolas, inicialmente os casos de agressões acontecem por meios de brincadeiras entres estudantes ou até mesmo de formas silenciosas como é o caso que envolve o Bullying, estudante atingindo por esse tipo de violência tem seu desenvolvimento é desempenho escolar diminuído devido às agressões psicológicas sofridas. Existem dentro das escolas “N” fatores que gradativamente atribuem o aumento de abusos no ambiente escola, esse estudo através de pesquisas tabelou as que são mais presente na realidade de nossas escolas, é importante salienta que a escola embora não esteja preparada para lida com situações que envolve um determinado tipo de violência,precisa além de tudo se aproxima de seu educando pois é através de ações participativas que a escola pode contribuir positivamente para a freqüência dessa epidemia nas escola.

 

                          TABELA. 03. Capital com escolas publica mais violenta

Maceió (AL)

Fortaleza (CE)

Vitória (ES)

Salvador (BA)

São Luís (MA)

Belém (PA)

Belo Horizonte (MG)

 

            TABELA. 04 Índices de agressões dentro das escolas sofridas por estudantes

Fortaleza (CE)

67%

Belo Horizonte (MG)

66%

Salvador (BA)

40%

Maceió (AL)

33%

Vitória (ES)

30%

São Luís (MA)

28%

Belém (PA)

28%

Média geral

42%

     

     

 

Na tabela 03 destacamos as capitais brasileiras com maior índice de agressões sofridas tanto pelos alunos como pelo corpo docente, lembrando que as capitais ausentes na tabela não implicam um menor índice de violência, como por exemplos a escola publica do Grande Recife vem mostrando um acelerado índice de violências nas escolas de acordo com pesquisas atuais.

 

CONCLUSÃO

 

            Essa pesquisa tem como base de investigação de procura sabe quais as causas que adiciona à violência no ambiente escolar, entendendo que a escola visa à formação e a condução de cidadãos a sociedade. Esse breve estudo vem constatar que a principal causa é provocada pela desestruturação familiar acompanhada pela violência domestica, agressões vivenciadas em um ambiente negativo trás funesta adição a reprodução de saberes proporcionada pelo ambiente acadêmico em todo o seu processo de aprendizagem.

            Infelizmente a realidade escolar brasileira está infectada pela epidemia da violência em todas as suas proporções e em todos os níveis que se possam imaginar, sejam elas mais simples, porém não menos preocupante até as mais graves que engloba ameaças contras colegas e contra os professores. Esse estudo destaca as principais formas de violências e suas causas, mais e importante deixar claro que as formas de violências nas escolas são variáveis de uma escola para outras é suas conseqüências também vai decorrer da forma de como um determinado tipo de violência entra e indefere no ambiente escolar é,sobretudo como essa epidemia é conduzida pelo corpo escolar a fim de diminuir ou coloca barreira para que qualquer tipo de violência não se proporcione em níveis mais graves ou até pior que a violência se torne um costume na vivência da escola. 

As possíveis soluções é fazer um programa educacional que visem integrar os estudantes com a escola que eles se envolvam com ferramentas que possibilite criar e estabelecer laços com seu ambiente acadêmico.

Não há uma receita pronta, que venha a arraigar essa epidemia das nossas escolas, mais que se haver um compromisso sério com a educação e do papel da escolar em querer abraçar a causa de eliminar essa doença que esta afetando o desenvolvimento dos ideais que a escola proporciona e de sua ideologia.

Pelo simples fato da escola se opor contra todas as arbitrariedades que provoca a violência então a escola assumir o papel a que a ela a sociedade impôs para que seja de fato um ambiente legado para que os estudantes ao vivenciar com a sua realidade sejam aptos a fazer suas escolhas com perspectiva mais claras é ciente de sua realidade.  

 

REFERÊNCIAS

 

BARROS, Jussara de. "Escola X Violência”; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/educacao/escola-x-violencia.htm>. Acesso em 19 de dezembro de 2016.

Violência nas escolas Brasileira, Publicado em 15 de setembro de 2016. Disponível em:  https://www.educabras.com acesso em 18 de DEZEMBRO 2016 às 10h30min

 

A violência nas escolas: Ela reproduz as loucuras da nossa sociedade. Por. Luis Pellegrini 21 de Maio de 2014. Disponível em: www.brasil247.com Acesso em 20 de DEZEMBRO 2016, às 12hs

 

Santo. Cardoso. Alessandra. Violência no contexto escolar: Breve análise do enfrentamento da violência na escola Municipal Profª EUFROSINA MIRANDA, TCC. Salvador, 2011. Disponível em: www.uneb.br/salvador Acesso em 23/ DEZEMBRO, 2016 às 14 horas

 

Silva, Simone Patrícia da À violência e a escola: produções discursivas de pais e alunos da comunidade do Coque / Simone Patrícia da Silva. –Recife: O autor, 2011. UFPE

(CFCH2011-15).

 

 

.

 

Revisado por Editor do Webartigos.com