Do passado sonoro brando.

Sangra a amplidão do céu ensolarado

E ouvindo as aves vou me recordando

Do nosso eterno idílio do passado

Era um cenário assim

Macio e brando

Soprava o vento magnetizado

A campina florida e verdejante

Margeava o lago do ouro azul branquiado

Era pela tardinha e em tudo havia

Um toque delicado de poesia

Um não sei que arrebatava a gente

E a recordação que tudo grava

Dessa lembrança me detém escravo

Porque penso em você constantemente 

 

EWALD KOCH

Revisado por Editor do Webartigos.com