ROUBO DE CARGAS


O roubo de cargas tem figurado entre os crimes que mais crescem no país, Este tipo de crime tem sido praticado principalmente por quadrilhas especializadas, que utilizam no seu modus-operandi toda uma logística envolvendo a parte operacional, utilização de equipamentos e armas modernas, estratégias de abordagem e principalmente uma rede de receptadores que infelizmente sustentam o crime. Os criminosos não se limitam a assaltantes que interceptam caminhões nas estradas, o roubo de cargas é mais complexo e engenhoso.
Hoje a maioria dos roubos, já são cargas encomendas, ou seja, antes dos criminosos agirem, já se sabe quem será receptador que realizou o pedido, o crime se tornou uma rede de negócios, implantando uma estrutura que envolve executivos e empresários em busca de mercadorias valiosas.
A cada dia surgem soluções que ajudam na segurança da carga e ao motorista e ganhos reais em toda a operação logística, hoje os seguros estão cada vez mais exigentes, as empresas foram obrigadas a adotar medidas para garantir mais segurança para o seu negocio.
Muitas empresas estão adotando o gerenciamento de riscos que visam reduzir o índice de roubos, as medidas de segurança são a utilizando de tecnologia de rastreamento via satélite, escolta armada , rastreamento com todos os sistemas, incluindo sensores de porta, sensor de baú, sinais do rastreador enviados de dois em dois minutos, consulta dos dados do motorista, do proprietário do caminhão, dados da carreta/caminhão e cavalo, certificando-se de que ambos são idôneos, etc.
As conseqüências deste crime atingem a todos, o impacto econômico reflete nos custos empresarias, gerando principalmente aumento de preços que são repassados ao consumidor, ou seja, mais uma vez como nos demais crimes, quem acaba sendo atingido é o cidadão comum.

Siderley A. de Lima, Consultor de segurança pessoal, profissional de segurança pública, é membro da ABSEG ( Associação Brasileira dos profissionais de segurança), colaborador do Conseg Alphaville/Tamboré e foi militar graduado do Exército .
[email protected]
Revisado por Editor do Webartigos.com