Vivemos inseridos na sociedade da massificação. Esta conduta é questionada desde os tempos da antiga civilização grega e, com tantos apelas do mundo consumista, torna-se difícil mudar a rotina, uma vez que poucos se preocupam com sua qualidade de vida, principalmente buscando formas alternativas de vida saudável.

Nesta perspectiva, resolvi voltar a adotar um meio de transporte com o qual iniciei minha profissão: a bicicleta! Depois de mais de vinte anos, muita coisa mudou e para o pior, pois o ciclista é muito desprezado, tanto por motoristas, motociclistas e até por pedestres. Vivo numa cidade interiorana, onde se tem a impressão que andar de bicicleta é algo corriqueiro e prazeroso. Infelizmente não é bem assim. A falta de respeito para com quem pedala na via urbana é impressionante por parte de quem usa veículo motorizado. Eles simplesmente ignoram o ciclista. Por várias vezes, em plena via preferencial, nos cruzamentos, a bicicleta não é considerada por muitos, como um meio de transporte! Algo lamentável!

Nas faixas de pedestre, mesmo sem estar andando na bicicleta, a falta de respeito é ainda pior! Fico imaginando com deve ser o comportamento dos motoristas em relação aos ciclistas em países como Dinamarca, Holanda e França! Com certeza nestes países, onde mais são usadas as bicicletas, existem respeito e solidariedade em relação ao ciclista, eles devem ter uma visão diferente de mundo em seu conjunto social.

E o que dizer do tráfego em nossas rodovias? Sou do tipo de motorista que gosta de curtir a paisagem, para tanto, preparo-me para viajar, sempre tendo em mente a importância em fazer uma viagem tranquila para não perder os encantos da trajetória, mas isto é possível ao se respeitar os limites de velocidade que também ajuda a conter os gastos. Todavia, ao adentrar em uma rodovia, encontramos os motoristas aloprados, caminhoneiros alucinados e motoqueiros enlouquecidos que nos fazem perder a dimensão da tranquilidade.

Como diz o ditado popular: “respeito é bom e eu gosto”! Mas, em nosso país, com o individualismo exagerado, baniu-se a milenar virtude do respeito para com as pessoas. Esta falta de sensibilidade, torna o ser humano um ‘selvagem’ com um extinto devastador. Quantas vezes é preciso lançar o carro para o acostamento para deixar o ‘louco (débil mental)’ seguir e quantas vezes é preciso mudar a rota da bicicleta para evitar um atropelamento. Se todos tivessem bom comportamento e respeito, tudo seria diferente!

Mas, não se deve desistir e nem mudar de convicção! Triste no meio disto, não é só a falta de respeito, mas a letargia de grande parte da população que não assimila as inúmeras campanhas feitas para se viver com qualidade de vida. A questão é a nossa grande falta de educação e de respeito!

Conscientizemo-nos enquanto temos tempo! Respeitemo-nos antes que tenhamos que viver como em uma ‘selva de pedras’.

Revisado por Editor do Webartigos.com