APRESENTAÇÃO

Este presente relatório tem como finalidade de colocar como forma de registro não apenas as atividades proposta para essa aula-campo, com a visita ao nuseu do Brinquedo popular do Rio Grande do Norte-IFRN e ao NEI- Núcleo de Educação da Infância situado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, mas também visualizar na prática os conceitos abordados e discutidos na teoria em sala de aula de forma dialogada/discursiva. A proposta desse relatório tem como abordagem subjetivo-descritiva e com fundamentação teórica dos autores/textos trazidos para essa disciplina, a fim de fazer uma interligação entre os conceitos teóricos com aquele que vivencie na prática através dessa aula-campo. A vivência dessa aula contribuiu para deixar mais clara e objetiva as minhas concepções e reflexões acerca da infância que foi um dos assuntos bastante atrelados a disciplina através dos conceitos de Philippe Áries que trás toda uma discussão envolvendo a história da infância, com um panorama histórico/social/cultural/econômico. Isso foi bem visualizado no nuseu do Brinquedo Popular que trás toda uma trajetória evolutiva dos brinquedos e conseqüentemente da infância e de diversas formas do brincar. “Brincar é uma das principais atividades da criança. E por meio das brincadeiras que ela revive a realidade, constrói significados e os ressignifica momentos depois. Dessa forma, aprende, cria e se desenvolve em todos os aspectos”. DENIZE, Pozas. Através das observações e analise na visita ao nuseu, também conectei as idéias e concepções de Sônia Kramer através das imagens/quadros que ficavam expostos pelo nuseu com a finalidade de mostrar a relação entre a criança e sua infância na sociedade que ela esta inserida e de como esses aspectos determina os papéis e desempenhos do

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE MÉTODOS E TÉCNICAS DE ENSINO DISCIPLINA: EDUCAÇÃO INFANTIL 1º SEMESTRE/2017 MANHÃ PROFESSORA: ZÉLIA G. PORTO Processo de socialização. O nuseu ele trás uma fonte riquíssima quando o assunto é brinquedo/brincadeiras retratando momentos histórico/social das crianças que tem uma sensibilidade de criar e recriar, inventar e está sempre se reinventando é nunca deixando de brincar. “Crianças são mensagens vivas que enviamos a um tempo que não veremos”. NEIL. Postaman. A presença de Tizuko foi amplamente marcante e visualizada na visita ao NEI, que coloca as crianças como protagonistas de seu próprio processo de ensino/aprendizagem. Pois encontramos na metodologia adotada pelo centro educativo que o brincar é importante durante todo o processo do ensino, e que a educação e a construção da aprendizagem são construídas no dia a dia através da curiosidade das crianças. Entre outros autores, as suas idéias interligam com a história dos brinquedos e da infância em uma relação conjunta entre a metodologia encontrada no NEI. É a partir das minhas concepções com a dialogação com o referencial teórico dessa disciplina que procuro deixar claro que a aula campo foi um instrumento muito rico para não apenas um complemento, mais como uma forma de mostrar que tudo que foi vivenciado durante as aulas que foram assunto de debates, que é possível colocarem as idéias boas em prática, prática essa que são encontradas na metodologia do NEI. Espero que, através desse relatório possa deixar clara a minha aprendizagem e a compreensão das aulas discursivas colabora muito para que aquilo que foi visto na prática se relacionou com a teoria possibilitando uma melhor compreensão dos conceitos exposto na sala de aula. ******* A nossa partida saiu do Centro de Educação-CE às 07h30min, o transporte fornecido cumpriu com o conforto e comodidade do longo percurso. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE MÉTODOS E TÉCNICAS DE ENSINO DISCIPLINA: EDUCAÇÃO INFANTIL 1º SEMESTRE/2017 MANHÃ PROFESSORA: ZÉLIA G. PORTO A aula campo contou primeiramente com a visita ao nuseu do Brinquedo Popular (RN) onde tivemos contatos com brinquedos tanto artesanais como brinquedos produzidos pelas crianças ao longo de um percurso de tempo. O nuseu tem umas variantes de acervos de brinquedos e brincadeiras inventariados no município do Rio Grande do Norte. Esse nuseu conta com aproximadamente com 300 (brinquedos/brincadeiras), a maiorias dos brinquedos encontrados no acervo tiveram participação popular muito forte da região, são encontrados na criação popular brinquedos confeccionados pelas crianças como os mais simples e mais simbólicos como por exemplos cavalos de pau que praticamente é um ícone marcante na infância de muitas pessoas. Ao lado imagem de cavalos de paus elaborados por crianças do Rio Grande do Sul, feitos por diferentes matérias como bambu, folhas de coqueiros, paus de madeiras entre outros. Disponível no Nuseu dos Brinquedos Populares do RN. Com base na concepção de infância como algo determinado sóciohistoricamente e culturalmente, de modo, que o desenvolvimento da criança não pode ser linear, mais dinâmico em movimentos dialéticos, Pozas compreende a discussão entre a relação do brincar no desenvolvimento cognitivo das crianças, sabendo que o direito das crianças a brincar, como forma particular de expressão, pensamento, interação e comunicação infantil. Essa compreensão de Pozas deixa claras as idéias passada pelo monitor e guia discursivos do Nuseu, uma vez que ele colocar que, “as crianças criar suas formas e maneiras de brincar através de uns brinquedos ou brincadeiras encontrando maneiras variadas para brincar.” No nuseu são encontradas peças fabricadas pelas crianças que não deixam de brincar devido as suas limitações socioeconômicas mais que buscam um resignificados para refazer seu mundo. Onde as motivações, as trocas e os interesses e as descobertas feitas pelas crianças se desencadeiam no processo de relações sociais.

[...]

Revisado por Editor do Webartigos.com