Maria Severiana de Albuquerque1 RESUMO Essa pesquisa foi proposta pela disciplina de Fundamentos do Ensino de Ciências, tem como base a utilização de análise documental com característica investigativa qualitativa. O artigo tem como objetivo compreender o processo de introdução do ensino de ciência a partir de 1950 até 2000. Apresentaremos as diferenças de cada fase (período) em que o ensino de ciências passa até chegar à formatação curricular em que é vivenciado hoje.
Palavras-Chave: Ensino de ciências, Análise documental, Qualitativa.
1. ITRODUÇÃO
A proposta para a elaboração desde artigo tem como finalidade de compreender como é de que formas aconteceram à introdução do ensino de ciências no Brasil.
Tomando como referencial de partida o ano de 1950 quando o sistema educacional estava voltado para os estudos das línguas clássicas e matemática. No Brasil o ensino de ciências desde a sua incorporação que ocorreu no século XIX com a Fundação do Colégio D. Pedro II como Ciências naturais, o ensino nesse período é destacado por um ensino expositor, voltado para a classe elitista da sociedade brasileira. Nesse artigo apresentaremos as principais mudanças ocorridas dessa disciplina no decorre do período de 1950, onde o ensino das ciências ganha um forte impulso com aplicação tecnológica direcionados aos conteúdos, apresentando modelos que vai caracterizando as mudanças do sistema educacional voltada para o ensino das ciências, sobretudo as naturais, que de acordo com essa pesquisa investigativa vai demonstrar que, a partir desse período de 1950 até o ano 2000 acontecem mudanças significativas que vai moldando o sistema curricular do ensino durante esse 50 anos, com uma visão de caracteres mais transversais.

Essa pesquisa vai apontar avanços e diferenças expressivas que aconteceram no processo de consolidação do ensino de ciências é uma das causas esta direcionada para o contexto sócio-politico-ecomonico, deduzirmos que um forte fator para as transformações do currículo foi e continua sendo o denominador político, sendo ele o principal indutor das mudanças que acontecem no ensino de ciência, uns dos principais motivos, que esse estudo vai apontar é a finalidade é propósito do próprio ensino para a sociedade, ou seja, o ensino vai decorrer das necessidades da própria sociedade.
A base da fundamentação teórica esta embasada nas concepções de Krasilchik que traz uma analise do ponto de vista político e econômico, pois para essa autora à medida que a ciência vai se desenvolvendo foi constatando sua importante relevância para os fatores social é também cultural, sobretudo o econômico para o progresso do país. Para a discussão também apontamos os conceitos de Borges e Lima, esses autores vai trazer para a discussão conceitos contraditório nos documentos oficiais como por exemplos a LDB/71. Eles apontam que as disciplinas científicas, nesse período de ensino foram tecnicamente reduzidas por compreender que o currículo deveria favorecer mais os níveis tecnicistas de caracteres profissionalizantes, deixando assim desvalorizada o ensino das ciências naturais nos currículos nacionais.
Canavarro, também vai tomar posição principal na discussão, pois essa autora toma um posicionamento com relação à inserção do ensino de ciências nas escolas, Embora que nesse período se questionava a importância dos estudos das ciências para não apenas o crescimento, mas também do desenvolvimento do país, mesmo assim o governo mantém nesse momento um ensino voltado para uma classificação tecnológica, pois como afirma Goodlad (1973), nesse primeiro momento o contato cotidiano com tecnologia não é com a ciência. E possível ser percebe nos primeiros momentos da introdução do ensino de ciências como disciplina nas escolas secundária era totalmente expositoria, é podemos até dizer que o próprio ensino nessa época não possuía uma tradição não possuíam um segmento metodológico dentro do currículo, o que determinava uma desvalorização do ensino de ciência no inicio de sua introdução no Brasil.
Essa pesquisa vai delinear os processos e as transformações que aconteceram dentro do currículo de ciências. Com a finalidade de mostrar as principais características que aconteceram é entender as finalidades dessas mudanças não apenas no âmbito do ensino, enquanto um sistema educacional, ou as mudanças ocorridas tiveram apenas finalidade política visando apenas ao desenvolvimento do país em um plano mais econômico é político do que educacional.
A problemática desse trabalho de pesquisa e saber quais os principais desafios vivenciados pelo o ensino de ciência nesse período de 1950 a 2000. Para entender como se deu o processo de sua consolidação como disciplina curricular nas escolas secundárias brasileiras, sobretudo qual era os principais objetivos do ensino de ciências. O objetivo específico da pesquisa está voltado para: Saber como aconteceu à introdução do ensino de ciências no Brasil; Entender os processos formativos do ensino para as ciências naturais, Compreender as mudanças que aconteceram nos currículos nas diferentes etapas desses intervalos (1950 a 2000).
É a partir desse interesse que buscamos entender esse momento da história do processo da formação de uma educação embasada no ensino de uma disciplina que favorece interesse voltado para a área natural, em um momento em que o Brasil demonstra ainda fragilizado com um sistema de ensino mais com características internacionais, ou seja, o plano curricular brasileiro está nesse primeiro momento da história educacional nacional sobre influência norte americana, totalmente fora da realidade de muitos brasileiros e sem conta que o Brasil vivenciava uma educação para poucos. É também são etapas vivenciadas pelo o ensino de ciências que vai teoricamente sendo moldada seguindo a padronização volta para interesse político do país. O ensino de ciências sobrevive período muito turbulento como o período do regime militar, as transformações do ensino na redemocratização da escola, as leis que favorece um ensino de qualidade, para todos, e as LDBs que vai direcionar o ensino mais padronizado é de um currículo nacionalista.
A metodologia tem como direcionamento de pesquisa qualitativa com característica descritiva, documental é estudo exploratório.
Tomamos como analise de pesquisa documentos oficiais como a LDB e documentos não oficiais como trabalhos acadêmicos que tratam de temas similares como também documentários que relatam momentos históricos do processo educacional brasileiro. A partir desses documentos, é da efetuação de uma analise detalhada com a finalidade de identificar mudanças visíveis na nossa educação voltada para a área da ciência natural das series iniciais. A partir das analises documental definimos pontos significativos ocorridos no ensino de ciências.
Através da realização das pesquisas traçamos uma linha simbólica da trajetória do ensino de ciências que constatamos a finalidade da implantação do ensino de ciências no Brasil nesse primeiro momento de sua consolidação esta inteiramente voltada para a classe elitista, não sendo nesse primeiro momento uma disciplina curricular obrigatória, só depois de três décadas seguinte se consolida como disciplina sendo obrigatória nas escolas secundárias. Umas das maiores dificuldades encontradas no ensino de ciências estava voltados para a carência de profissionais especializados na
área da ciência naturais, sobretudo para uma formatação curricular muito transitória. É graças às transições que o ensino de ciências vai se moldando de acordo com a necessidade da sociedade é da padronização do currículo que vai ganhando característica cada vez mais nacionalista.
As mudanças conceituais no currículo de ciências são evidentes,quando acontece a sua implantação (ensino expositor) cuja finalidade é apenas transmitir conhecimento,passa a mudanças radicais, passando as características mais pratica recorrente a opinião dos estudantes. Ou seja, o ensino de ciências passa de um ensino passivo para um ensino mais ativo dos agentes envolvidos no sistema de aprendizagem.
Nesse trabalho a nossa intencionalidade é aponta a trajetória de um ensino que hoje simboliza uma estratégia para o desenvolvimento de um país em uma visão hoje apontada como uma educação cientifica, Porém vimos à deficiência de investigação sobre a origem de sua implantação no Brasil, sua primeira finalidade como disciplina que ganha um forte impulso a partir do século XIX, precisamente na década de 50.

Encontramos varias referências de trabalhos publicados em décadas diferentes que apontam características de um ensino muito marcado pelo cunho de uma política centralizadora, é evidente que durante o processo da implantação do ensino de ciências como disciplina no Brasil foi muito marcada pelo processo histórico-social vivenciado no país, como o período da Ditadura Militar (1964 a 1985), Período do Pós Guerra, que vai provoca conseqüência para o ensino, sobretudo para a área da ciência na corrida tecnológica e tecnicista que envolve todo o país, A guerra fria, Preocupação ambiental é o futuro do planeta, todos esses acontecimentos que é vivenciado pelo país durante sua formação como uma nação afeta direta é indiretamente a formação curricular do ensino de ciências, e são essas transformações que analisaremos nessa pesquisa de cunho teórico investigativa.

[...]

Revisado por Editor do Webartigos.com