UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

Centro de educação

Por: Maria Severiana de Albuquerque

     Curso de Pedagogia

Cursando o 3º Período   

vasconcellos, C. dos S. Planejamento enquanto instrumento para a práxis Pedagógica. IN: Vasconcellos, C. dos S. PLANEJAMENTO: Plano de ensino-aprendizagem e projeto educativos. São Paulo: libertad, pp, 42-52 e Vasconcellos, C. dos S.Roteiro de elaboração do projeto de ensino aprendizagem e projeto educativos.

Farias, I.M.S.de Aula como espaço-tempo coletivo de construção de saberes IN: Farias I.M.S. de. DIDÁTICA E DOCENCIA: Aprendendo a profissão Brasília: Líder livro, 2009. pp, 154- 163. 

   Vasconcellos trás um importante tema para ser discutido e também como principal ênfase em sala de aula, Planejamento. O autor vai demonstra ao longo da leitura que o planejamento contribui de uma forma positiva para a postura do docente dentro da sala de aula. Então, o texto de Vasconcellos cooperar para o ensino e a aprendizagem tanto nos aspectos do projeto político pedagógico como também para o roteiro de elaboração do plano de aula.

     O planejamento e o roteiro criam possibilidades para que o educador conheça  melhor e mais eficaz plano de aula que possa desenvolve as habilidades dos alunos, para que desse modo os alunos possa analisar e compreender com mais eficiência os conteúdos abordado em sala de aula. Quando Vasconcellos trata essa questão do planejamento ele tem por finalidade destacar a idéia central que permeia a discussão que e o próprio planejamento como objetivo de auxilia a pratica docente, Vasconcellos na sua argumentação faz com que os leitores possam pensar e refletir sobre o papel educativo, o do ser professor. O texto de Vasconcellos vai proporcionar que o docente pense sobre essas questões que ainda esta ausente das salas de aula, o planejamento como um pilar um guia para facilita a pratica docente não tem a função de prender o professor na sala de aula com exposições teóricas, mais faz propor que também  pratica educativa, pois vai criar uma flexibilidade para que o professor possa criar e recriar situações de interatividade dentro da sala de aula. E importante deixa bem claro que o planejamento é a didática andam com o mesmo objetivo, para Farias a didática é a construção do saber a parir da experiência para que aconteça uma melhor compreensão dos conteúdos exposto pelo docente. A didática não pode ser meramente superficial, mas ela deve ser tratada como uma pratica do planejamento, visando dessa maneira uma construção no desenvolvimento do ensino- aprendizagem, A didática junto ao planejamento vai atua no desempenho da formação da identidade do docente como apenas como educador-professor, mas, sobretudo como ser humano através da sua historia de vida vivenciada  por ele e pelos alunos,que vai constituir fatores positivo ou negativos para sua formação como ser social.Porem a didática  deve ser algo sempre renovado, pois segundo Vasconcellos que tem fortes criticas ao sistema educacional de ensino,argumenta que o educador devem  construir  a didática  como algo que possibilite os educando a analise da sua realidade e explorá-las  de uma forma significativa, muito diferentes da compreensão do docente que ainda atuam na metodologia de ensino-aprendizagem,sem uma certa preocupação nas etapas  do desenvolvimento do aluno,levando em consideração o caráter  ativo do educando,enquanto  sujeito ao conhecimento e quebrar o mito de que os alunos como individuo  pensante  possa obter a motivação de quer aprender de uma forma natural,então o planejamento,o plano de aula ou o roteiro entra para atuar e criar essas possibilidade de uma forma construtiva.

           Para finaliza, complemento com a concepção de Farias que argumenta que o professor e apenas um mediador que vai facilita esse percurso percorrido pelo educando,destacando também as idéias de Vasconcellos que sintetiza que  o planejamento para o professor sempre um caminho de inovação.

AULA TRADICIONAL

AULA TRANFORMADA

Transmissão unilateral do saber;

Vínculos com o aluno;

Professor dono do conhecimento;

Autoria;

Não há questionamento;

Interlocução com a cultura;

Aula expositiva;

Ambiente favorável para aprendizagem;

Não há enfoque no individuo;

Dialogo professor e aluno;

Infra-estruturar limitada;

Questionamento;

Conhecimento do professor estático;

A escola visa mudança social;

O papel da escola e de promover uma formação moral e intelectual; 

Relação com o outro;

 

Foco na cultura;

Aula ativa e participativa;

 

Conhecimento inquestionável;

Concepção diferente para a aprendizagem e avaliação;

Autoritarismo (professor);

Valorização do conhecimento prévio do aluno;

Aprendizagem por repetição;

Autonomia do educando;

Avaliação mecânica ( memorização)

Professor mediador;

 

Revisado por Editor do Webartigos.com