RESUMO

A ludicidade como recurso pedagógico ocupa um espaço no processo ensino e aprendizagem, atendendo ás necessidades e aos interesses do educando e do educador no processo de ensino-aprendizagem. É necessária a utilização de recursos pedagógicos que considerem os diferentes estilos de aprendizagem dos educandos. A ludicidade auxilia o educador no desafio de ensinar. Qualquer atividade para a criança e com a criança tem um sentido educativo. A proposta pedagógica possui conhecimentos abstratos vinculados a situações cotidianas dos educandos. A proposta pedagógica possui conhecimentos abstratos vinculados a situações cotidianas dos educandos. A aprendizagem tem como objetivo a linguagem corporal, além da linguagem oral. No jogo, o educando desenvolve a iniciativa, a ação e a reação, a pergunta e a duvida, a busca do entendimento dos conteúdos para além da escola. São fatores considerados nas atitudes pedagógicas do educador na prática do jogo: Definição dos objetivos, escolha de jogos adequados ao momento educativo. Na ludicidade, o educando se torna sujeito ativo do processo de construção do conhecimento. Assim na tentativa de se revelar a aprendizagem de educando com os jogos, as brincadeiras e a exploração de brinquedos, é preciso ficar atento á observação do contexto que envolve a ação das crianças durante a prática pedagógica da ludicidade. Essa observação envolve a duração e o envolvimento das crianças nos jogos e evoca a possibilidade de estimular suas potencialidades, como a criatividade, a autonomia, a criatividade e a expressão ao desenvolver diferentes formas de linguagem e também os aspectos cognitivos, afetivos e sociais.

Novo Olhar da ludicidade para a formação do Educador

Muitos profissionais da área educacional utilizam a ludicidade como recurso pedagógico, pois a utilização de recursos lúdicos, como jogos e brincadeiras, auxilia transposição dos conteúdos para o mundo do educando. Nesse sentido, a ludicidade, como elemento da educação, Também é passível de demonstrar a evolução humana com base em suas interações sociais, culturais e motoras, pois o homem sempre teve em seu repertório as linguagens do brincar. Assim, a ludicidade na educação dá sequência aos estudos teóricos sobre esse tema, Enfocando como este pode fazer parte do currículo escolar, a partir da conceituação sobre o jogo, o brinquedo e a brincadeira. O seu olhar para essa abordagem deve ser o de alguém que se insere no ato de brincar, procurando perceber, identificar e ampliar seus conhecimentos práticos, teóricos e táticos sobre o tema. Entre as questões que se adaptam os educadores, encontra-se a organização de propostas para a formação profissional fundadas na articulação entre teoria e prática. Pesquisas apontam que, atualmente, há uma constante necessidade de a escola trabalhar conteúdos programáticos com a aplicabilidade prática, correspondendo aos anseios de um aluno que hoje é maus questionador. Assim, os professores não tem poupado esforços para buscar metodologias que sejam significativas e atendam aos interesses e ás necessidades não apenas de seus alunos, mas também de todos os envolvidos no processo de ensino-aprendizagem. No entanto, estudos revelam que, desde há muito, ocorrem problemas na formação desses professores , no sentido de identificar a relação dialética existente entre os aspectos acadêmicos que possibilitam uma relação de interação entre a prática que a cada professor irá desenvolver baseandose na realidade educacional em que for atuar e a teoria, que se funda na concepção de educação, de criança e de sociedade da própria instituição educacional.

Revisado por Editor do Webartigos.com