O girassol é uma flor notável por “olhar” para o Sol. Ela é conhecida como a “flor do Sol”. Segundo a mitologia grega, o girassol surgiu do amor de uma ninfa (Clítia) pelo Deus do Sol (Hélio). Quando ele resolveu trocá-la por outra ninfa, Clítia então se enfraqueceu. Ela ficava num chão frio sem beber e sem comer, alimentando-se apenas das próprias lágrimas. Durante o dia, ela olhava fixamente para o Sol, como que se fortalecendo com sua Luz, mas a noite se voltava para o chão continuando a chorar e a se lamentar. Com o passar do tempo, conta a mitologia que seus pés ganharam raízes e seu rosto virou uma flor, mantendo-se virada para o Sol. Por isso as suas pétalas simbolizam calor, lealdade, entusiasmo e vitalidade. O girassol reflete a energia positiva do Sol.

Assim como o girassol, nós também precisamos nos voltar para a Luz, só assim nos manteremos vivos. E quantas vezes nós encontramos pessoas que tentam encobrir a Luz que há em nós? Por quantos momentos quiseram nos deixar na escuridão, não porque estavam preocupados com a nossa felicidade, mas para nos retirar a vida que carregamos no coração. Um girassol traz sorte e boas vibrações aos ambientes em que são postos. Tem pessoas que não compreendem e tem medo da nossa Luz, por isso querem nos privar de sermos nós mesmos: seres de Luz. Acham que nos diminuindo perante os outros tirarão de nós nossa melhor parte. O pior é quando acham que conseguem. São aqueles dias em que estamos fragilizados, então qualquer olhar mais profundo e sorriso mais direcionado nos encanta e nos tornamos gratos a isso. Mas a relação é tão estreita e persuasiva que passamos a acreditar que aquela pessoa é “o Sol da nossa vida” e que não precisamos e nem saberemos mais viver sem ela (e é o pensamento dela também). Pela nossa fragilidade e vulnerabilidade emocional somos arremessados para esse cativeiro de forma a acreditar que estamos sendo revitalizados por aquela pessoa que está ali apenas sugando nossa melhor energia e incapacitando nosso coração para amar a outras pessoas. Estamos aprisionados na nossa própria alma. Indiferentes às opiniões que sempre foram fundamentais para nós. Não raciocinamos direito. Simplesmente defendemos nosso agressor porque ele nos transformou. Fomos sequestrados da pessoa que éramos. Roubaram de nós a nossa essência, nossa opinião, nossa capacidade de agir por conta própria. Em nome de uma autoproteção do próprio ego de quem achamos que nos ama. Não dá para acreditar em um sentimento assim, que seja nocivo e bonito ao mesmo tempo. É preciso desconfiar. Há algo de errado na relação estabelecida. Criaram um Sol para nós, mas que não alimenta e nem traz vida, apenas murcha nossas pétalas do coração.

[...] E como há gente assim, vivendo esse cativeiro, subjugada pelos parceiros numa relação silenciosa, velada e incômoda. Porque incomoda ver quem amamos passando por isso, sendo tratada como “marionete”, sem poder de decisão sobre as próprias vontades. Essa violência psicológica está sempre por um fio para se tornar violência física. Isso que é mais perigoso. Quando chegamos a esta situação, precisamos olhar para dentro de nós e perguntar tudo que sempre perguntamos para Deus: “cadê o respeito que sempre mereci? cadê o amor que liberta e melhora? cadê a aceitação de quem eu sou? cadê a aceitação das minhas qualidades e virtudes profissionais? cadê a atenção e o cuidado com os meus sentimentos? cadê o bem-querer de verdade à ‘minha mulher amada”? cadê a dedicação, a amizade, o brilho que me conquistou? cadê a minha paz? cadê, onde eu estou? cadê, onde estão as pessoas que deixei e briguei para viver essa história? É hora de parar e se perguntar... Para onde essa relação está levando? O que será do futuro, tão promissor e hoje apenas de muita dor?”.

[...] O girassol morre. Se não for cuidado sob a Luz verdadeira do Sol e do amor, o girassol morre. Sentimentos abusivos disfarçados de amor não sustentam, porque você se mantém de pé apenas pelo resto das virtudes que construiu anteriormente. Tuas vitaminas vão acabar, tua força vai se limitar e o girassol vai morrer. Todo girassol nasce inteiro, completo, suficiente. Ele apenas ganha com a Luz, fortalece sua capacidade de ser. Não é preciso que ninguém venha e o retire do local mais apropriado onde ele se sente bem. Isso mata o girassol. Cuide para que não estejam te levando para a morte do teu girassol. Os panos de fundo cairão, uma hora ou outra. Talvez seja tarde se você não agir agora. Pare. Peça um tempo. Repense. Refaça teus planos imaginando-se sem o agressor, o sequestrador. Você nunca precisou de ninguém para validar tua personalidade, teu caráter ou tua postura. Ninguém pode te aprisionar. Ninguém pode tocar nas tuas pétalas sem a tua permissão. Arrancar você das tuas raízes é te levar para um inferno disfarçado de paraíso. Não acredite em palavras. Relembre todas as atitudes e se isso está valendo a pena. Se o teu coração transborda de felicidade ou se ele está se esvaziando do amor que sempre te motivou a acordar todas as manhãs e entregar a Deus os teus caminhos.

E finalmente, volte-se para o Sol, teu coração, tua alma. Não acredite no Sol que te oferecem, porque você tem um aí dentro. Tua Luz é a mais bela inspiração de Deus. O teu Sol é vida para muitos girassóis que se voltam para você e tem em você uma importante referência, uma pessoa forte, decidida, de opinião e personalidade própria. Você é admirada e causadora de muito amor entre pessoas que se valem da tua Luz para viverem sob uma expectativa de um futuro caloroso e de muita amizade leal. Você é fértil, por isso é girassol. Você é Sol, por isso é Luz que cativa e aquece todos que adoram estar com você.

Revisado por Editor do Webartigos.com