“Amigos”  da Baleia Azul

Era comum ouvir o grito do Pai da Mãe chamando os filhos para casa, pois estavam eles em algum lugar brincando do esconde esconde, do pega, da bandeira, do carimbo.

Era comum ver o filho fazendo tromba, o famoso beicinho, pois estavam eles, querendo sempre brincar mais.

 Hoje já não vemos nossas crianças    interagindo em brincadeiras de rodas, talvez nunca experimentarão o prazer de ter brinquedos tão interessantes como a pedra, bola de gude, o pião, a pipa, as bonecas de pano, os carrinhos de latas feitos pelos pais e quando muito de vez em quando, um brinquedo da famosa marca Estrela comprado com muito amor e apenas em ocasiões especiais.                              

Os atrativos ofertados ás crianças hoje, são bem mais práticos e comprados no momento que o modismo determina.   São milhares de dispositivos eletrônicos que a maioria dos pais não conseguem nem operar, cujo o conteúdo, na maioria das vezes, foge a compreensão do pai, da mãe. E assim os pais vão se perdendo de seus filhos, tornando-se apenas coadjuvantes na educação deles, enquanto a Net toma posse dos desejos, sonhos, sentimentos e domina todo o mundo infantil, transformando os filhos em crianças precoces, adolescentes rebeldes, introspectivos, consumistas e cheios de pensamentos obscuros.

 Os filhos da Net substituem qualquer tipo de diversão por horas operando os joguinhos eletrônicos, e se dedicam bastante navegando nas inúmeras páginas virtuais, e assim tornam-se cada vez mais livres no silêncio de seu quarto, mais encantados pelo mundo barulhento e diversificado da internet. São muitos os amigos virtuais   que quebram os limites da infância e acabam por influenciar no crescimento dos filhos de forma negativa.

Os filhos da net cada vez mais se esquivam do convívio familiar, preferindo muitas vezes, ficar em casa    do que acompanhar os pais num passeio de domingo. E ainda há pais, que dizem preferir seus filhos em casa, e não se dão conta que pouco a pouco estão perdendo seus filhos para Internet. Infelizmente muitos filhos estão sendo “educados” por essa tal de 'NET', enquanto pelos PAIS estão sendo apenas criados.                                 

 Ainda há tempo de pegar a guarda de seu filho e filha. Tire-o do quarto, deem livros físicos ao invés de livros virtuais, almocem juntos, riam de filmes engraçados ao invés de ensurdecer com o barulho dos filmes violentos, substitua a companhia dos amigos virtuais de seus filhos pela doce presença de primos, tios avós, familiares, coleguinhas de escola, vizinhos. NÃO entregue seu filho para o mundo. Castigue-o sempre que necessário for, seu filho não precisa de um amigo pai, de uma amiga mãe, eles precisam de PAIS que saibam dizer o que é certo e o que errado, mas que saibam vigiar e não somente confiar. Lembre-se que você é a pessoa adulta da relação, alguém que precisa estar preparado para cuidar de outro alguém, de outro alguém que precisa se fortalecer, crescer e que, se orientados de forma errada, poderão ser filhos apenas da net.

Crianças precisam de pais que os vigiem, que saibam ser pais. Não use como desculpa a modernidade, a falta de tempo ou a velha frase - confio no meu filho, na minha filha, somos muito amigos, amigas - Crianças precisam de PAIS QUE O EDUQUEM. Não podemos deixar a NET ser pais de nossos filhos, o jogo da Baleia azul veio à tona e nos possibilita uma pequena amostra do que pode acontecer com nosso maior tesouro, nossos filhos. Estamos longe de sabermos o que de fato essa tal NET proporciona aos nossos filhos, precisamos tomar rédea da nossa sublime missão de ser Pais e Mães.

Baleia Azul é um jogo de desafios na internet que  induz os jovens ao suicídio, mas existem outras inúmeras formas dessa tal NET matar os nossos filhos lentamente sem que percebamos.

Convido você Mãe, você Pai, para voltarmos a gritar por nossos filhos.

Texto de  Marizete Ximenes

Pedagoga Ipu- Ceará.

Mãe de Maria Emanuele – 10 anos

20/04/2017

 

Revisado por Editor do Webartigos.com