Tenho refletido a respeito das mudanças que nossos políticos (diga-se: Michel Temer), desejam fazer em relação à Previdência Social, eles pretendem mexer nas atuais regras relacionadas com a aposentadoria do trabalhador brasileiro. Trata-se da Proposta de Emenda Constitucional - PEC 287.

Que existem falcatruas neste setor, não há como negar, pois em todos os setores do país a corrupção está presente. Que a população está com a expectativa de vida maior, não se pode negar. Que alguns conseguiram direito de se aposentar no auge de sua vitalidade, também é verdade! Entretanto, não é possível jogar a culpa em quem trabalha e contribui com a Previdência Social ou com os fundos previdenciários municipais, estaduais ou federais! Até quando quem trabalha e contribui será o vilão e arcará com a consequência de um sistema perverso que não considera o desgaste de quem vive de sua força de trabalho?

Acompanhei a luta de meu falecido pai em relação à sua aposentadoria, e o quanto sofreu ao ver que após ter trabalhado tanto, não conseguia manter sua saúde, vida familiar e condições básicas de vida! Não tenho dúvidas que esta sua decepção para com a Previdência Social provocou sua morte!  

Esta proposta de Reforma na Previdência fez-me discordar de algumas de suas regras, como colocar todos os trabalhadores num mesmo patamar, pois cada profissão tem suas características e suas diferenciações. Outra regra absurda é o corte da pensão em 50% quando ocorre a morte do aposentado, neste momento em que a esposa (o) precisa deste valor integral para sobreviver. Não podemos concordar com aqueles que recebem a aposentadoria sem ter contribuído para um fundo previdenciário. Não é possível admitir que continuem as pensões vitalícias de políticos que usufruíram de cargos, levando estas benesses até o fim da vida. Não concordamos com as mordomias dos políticos deste país, dentre elas a de não pagar imposto de renda. E a falcatrua com fim eleitoreiro, chamada ‘bolsa família’ distribuída sem critério e que não contribui para banir a miséria deste país!

São tantos subterfúgios escondendo a principal questão que esta por traz desta reforma na Previdência Social: o sucateamento do trabalhador, ou seja, assim como a máquina este deve trabalhar até seu limite. Pergunto a vocês, dando exemplo de minha profissão, como um professor poderá ficar em uma sala de aula após os sessenta e cinco ou setenta anos de idade? Haverá qualidade de ensino? Aliás, há preocupação com esta qualidade?  

Caros amigos leitores, caso não abrirmos os olhos, teremos um grande retrocesso neste país. Quanta luta para termos as conquistas estampadas na Constituição Brasileira de 1988; quantas greves para ver direitos assegurados ao magistério e, vemos um grande contrassenso por parte de nossas autoridades, na verdade defendem o capital e não o mundo do trabalho.

Por favor, você que lê este artigo, não se deixe iludir por palavras demagógicas e balelas do governo e de políticos que levam o povo acreditar no arrombo da Previdência provocado pelo pagamento das aposentadorias, uma mentira, pois o trabalhador não recebe nada de graça.

Pensem muito a este respeito! É nossa vida que está em jogo! Até o próximo!

Revisado por Editor do Webartigos.com