Filosofia da Educação
Professor: Flavio Brayner
Por: Maria Severiana de Albuquerque

Curso de Pedagogia 2º Período turma: Manha
FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO

Síntese do texto: Da criança-cidadã ao fim da infância
Autor: Flavio Brayner

O artigo de Brayner, busca fazer uma abordagem através das concepções vivenciadas pela a sociedade atualmente, destacando em seu artigo: Da criança-cidadã ao fim da infância, temas bem marcante da educação brasileira tais como o aluno-cidadão, a idéia que o sujeito tem com relação ao que denomina de espaço publico, do adulto-criança e vise versa, discutir também a questões do papel da escola como formadora de sujeitos ciente de uma "cidadania" e também trás as idéias da verdadeira democracia. Todos esses conceitos Brayner fazem sempre uma inter-relação, pois um vai proporcionar conseqüência para o desenvolvimento do individuo como cidadão, levando sempre em consideração de discussão dois aspectos importantes que o autor trás para o desenvolvimento das idéias que serão debatidas por Brayner. A importância do resgate do espaço publico e do privado, e o que esses dois fatores podem provocar de certo modo uma separação entre dois mundos completamente distintos entre adultos e crianças.
Brayner abre a sua discussão abordando as questões de uma crise educacional no cenário brasileiro, segundo qual esta sendo desvalorizada pelos empresários, que poucos se preocupam em estabelecer uma educação que seja mais igualitária em uma visão democratizadora, pois e através da educação que toda e qualquer sociedade e fundamentada e sem ela e impossível haver uma cidadania. E importante que as instituições escolares brasileira apresentem um maior comprometimento no setor educacional que por sua vez vem sofrendo por uma carência da formação de uma educação mais centralizadora, que por sua vez possa sim, contribuir e fornece meio para o desenvolvimento do individuo como ser humano-civilizado.
Podemos falar segundo essa concepção de Brayner de um retrocesso educacional brasileiro, em que tanto se busca em estabelecer uma educação-democratica, o que vermos atualmente e uma educação desvalorizada e bastante desigual. Então, onde fica o papel da escola como formadora do ser social do sujeito. Pois a escola tem uma estreita relação para a inclusão na vida social ou para uma vida em civilidade.
O espaço estabelecido no campo escolar, segundo Brayner vem sendo cada vez mais, um espaço predominantemente político do que social, pois tem como conseqüência quebrar a ingenuidade do sujeito para possibilita a sua formação como cidadão. Nesse ponto da discussão o autor assegura certa "inseguridade" no que se atribui para uma gradativa perda da "cidadania". A busca pela valorização da cidadania com mais dignidade vem proporcionando uma crescente conscientização pelos direitos sociais igualitários para todos, de uma vida digna.
Essa incessante buscar para concretiza uma democracia igualitária, alerta os poderes institucionais que acaba "modelando" uma nova atitude com relação ao papel das escolas, compreendendo que as instituições escolares têm uma função determinante quando se trata em introduzir o individuo no contato com a cultura de um mundo civilizado. Pois de um modo geral, notamos a cada dia o crescimentos de movimentos sócias que lutar por uma melhoria e participação ativa dentro da sociedade. A escola, contribuir para a formação conscientizadora do papel social de cada individuo, por isso, e através do espaço escola que também e considerado um espaço político que proliferam idéias para a transformação da sociedade.
Brayner, destacar que "a sociedade" vem se transformado para uma constituição de uma "cidadania" mais ciente, e o que causa essas constantes linhas de transformações através do próprio movimento socias que sempre visam atribuir novos espaços sociais, que objetivam conquista seus direitos como parte da formação e como agentes sociais. Brayner descreve a concepção da cidadania como "... o acesso dos individuo aos bens de serviços de uma sociedade moderna..." O interessante e o que Brayner se colocar depois quando se refere à cidadania como "algo negativo", pois segundo a sua concepção a cidadania tem mais haver quando se referir a ternos políticos do que em linhas sociais. A cidadania no fator políticos implica uma cidadania mais participativa, mais ativa. Que buscar de uma maneira geral resgatar o ideário de um individuo e porque não do próprio cidadão quanto sujeito, integrante dessa sociedade. A cidadania política tende a valorizar o individuo em sua plenitude para seu desenvolvimento social em todos os sentidos.
Outro aspecto importante do artigo de Brayner foi estabelece um perfil da realidade brasileira e sua "contradição" enfrentada pela educação, escola e a sociedade. De certo modo Brayner alerta para a incapacidade das teorias educacionais, que muitas não correspondem para a nova realidade vivenciada pela a educação moderna. Brayner ainda reforça a idéia de que, a escola tem uma grande importância para a formação do ser social.
E também pelas dificuldades enfrentas e vivenciada pela a escola, que assumir papeis que muitas vezes não pode desempenhar,devido a sua fraqueza em se posicionar diante das novas idéias que emergem sobretudo das "forças dominante" ,que impede que a escola assumam sua autonomia e sua postura como formadora de cidadão-critico,ou de alunocidadão que saibam cumprir e respeitar os deveres cívicos sobretudo sociais de sua escola e de quaisquer espaços sociais.A conseqüência desde e uma construção de uma cidadania e de uma sociedade cheia de valores,pois a escola ao assumir sua autonomia possibilita uma cidadão cada vez mais conscientes e ciente de seus direitos e deveres.
Outros pontos destacado no artigo e com relação a espaço publico e privado, o qual a caba provocando de certa maneira uma barreira entre dois mundos, o que diferencia ou delimitam essas fronteiras que separam o espaço publico do privado e aquela que de certo modo faz separação entre a vida adulta do mundo das crianças. A causa principal que provoca essa conceituação e o aparecimento do mundo capitalista o que acaba introduzindo uma propagação da chamada socialização. A socialização na sociedade contemporânea e que vai emergindo e invadindo o espaço privado, no qual pode ocasionar um risco iminente no sentido da própria esfera publica provocando conseqüência na existência do sujeito. O autor, chama a atenção para as contradições contemporânea entre o espaço escolar que querendo ou não,e determinante para a introduzir o sujeito no que se refere no contato cultural e o pensamento do cidadão no que defini sua construção para a cidadania.
Finalizo expondo que, a escola na modernidade, esta se aproximando do conceito a ela atribuída, e que a escola assumir papeis irrealizáveis que de certo modo acaba fornecendo mais dificuldades para a chamada pratica pedagógicas e destrói toda a intenção de proporcionar uma maior qualidade que segundo Brayner e necessário para a devolução da chamada "divida política", pois para o autor não adianta apenas criar possibilidades de fornecer uma ampliação da escolarização. Mais que haja discussões e debates que possa favorecer confrontos de idéias com intuito de apontar uma melhoria na causa educacionais e sociais que esses pontos sejam menos republicanos e mais democráticos.
Um dos pontos que denomino também importante nesse artigo e quando Brayner faz uma trajetórias na historia,com a finalidade de expor as teorias do fim da infância,o autor explorar cada significados que correspondem uma compreensão da infância ao logo do período da nossa historia.

Revisado por Editor do Webartigos.com