Professor Me. Ciro José Toaldo

Estava com o artigo pronto a respeito do balanço da existência de 2016, mas frente aos últimos acontecimentos, não poderia deixar de expressar minha indignação com os poderes constituídos desta nação!

Como comentamos em artigos anteriores, o governo Temer, a cada dia perde a confiança dos brasileiros, uma pesquisa recente aponta que mais de sessenta por cento dos brasileiros não o querem na presidência; mas, também, apronta cada uma: lançou a famigerada PEC 241, que no Senado é a PEC 55 e, anda a todo vapor, passando na primeira votação. Este é o presente de grego de Temer que deseja que apenas o povo pague a conta de tudo. Não fosse apenas a PEC, agora resolve intervir na questão previdenciária, especificamente no que diz respeito a aposentadoria. Novamente, o poder executivo nacional, aliado ao legislativo, jogam sobre o trabalhador a culpa da falência da previdência.

Amigos, estamos frente a um grande retrocesso, onde o governo, junto com a imprensa sensacionalista, mente descaradamente, afirmando que a previdência dá prejuízo e que a reforma é inevitável para garantir a aposentadoria para as gerações futuras. Até quando o trabalhador deverá assumir este rombo que não foi ele que causou? O governo privilegia as empresas, isentando, muitas delas, das contribuições previdenciárias. E, lá se vão bilhões para o ralo! E, outra questão: por que em nosso país a prioridade está em pagar dívida pública e não em garantir os direitos do trabalhador?

Este é o país da vergonha e deveremos ter muita força para em dois mil e dezessete, fazer o que fazíamos nos anos oitenta: lutar e lutar para termos a garantia de nossos direitos. Aliás, a cada dia estão rasgando nossa Constituição de 1988.

A vergonha não para por ai, acompanharam os acontecimentos com o Presidente do Senado Federal? Vergonhosa foi a atitude do Supremo Tribunal Federal que abaixou a cabeça para Renan Calheiros (PMDB-AL), deixando-o continuar na Presidência do Senado, após não cumprir liminar que determinava seu afastamento da presidência do Senado, aliás, Renan recusou-se a receber a intimação do oficial de justiça. Sem nenhum escrúpulo, permaneceu no cargo e, pasmem, com o apoio da maioria do Supremo.

É vergonhoso saber que em nosso país a lei vale para alguns! Experimenta, caro leitor, recusar-se a receber uma determinação da justiça, para ver o que vai acontecer! Não é possível termos tanta disparidade. Acredito que algo precisa ser feito em relação aos que ocupam o poder neste país, na verdade nas três esferas: legislativo, executivo e judiciário!

Precisamos de ação para que a vergonha deixe de ser uma realidade, uma mancha que nos entristece. 2016 se finda e, como este foi um ano cabuloso! Ainda bem que logo se encerra!

Revisado por Editor do Webartigos.com