Introdução

As aulas de campo no ensino da Geografia são importantes para poder compreender melhor na pratica o que diz na teoria, principalmente na disciplina de Geomorfologia Geral onde se é estudado a interação gênero humano e meio natural.  Sendo que ambos se interagem entre si de diversas formas, capazes de determinar as características clima, hidrologia e entre outros respectivos componentes biológicos incluindo o relevo da região, mas podem surgir algumas duvidas de acordo com Ross alguns questionamentos serão levantados e:

(...) levam seu organizador a pensar sobre:

- O que será considerado como forma de relevo?

- Como serão agrupadas e classificadas as formas?

- Como representá-las?

(Ross, 1990) 

Depois se serem realizadas pesquisas, os dados coletados irão ser decisivos na construção de um quadro referente ao pesquisado onde serão observados diferentes elementos da paisagem. Esse tipo de pesquisa pode ajudar na mudança do currículo escolar das escolas tornando as aulas mais interessantes. As mesmas podem incentivar os alunos a querer adquirir conhecimentos sobre seu próprio município no qual irão sair da sala de aula e explorarão os ambientes ao redor da escola. 

Mudando o método convencional

Alguns cientistas veem a necessidade de incluir uma metodologia diferente para inserir as aulas de campo na disciplina de Geografia, os mesmos alegam que inúmeros são problemas que contribuem para essa triste realidade, na qual gera o desinteresse dos estudantes. Por isso artigos estão sendo lançados para tentar mudar este fato e estão surgindo propostas para tornar as aulas, mas dinâmicas. De acordo com Bittencourt e Seniciato & Cavassan:

Seria preciso aliar recursos didáticos inovadores a uma abordagem metodológica renovadora, enfatizando o diálogo, as reflexões, as criticas e os diferentes pontos de vistas a serem discutidos e debatidos pelos alunos.

(BITTENCOURT,, 2009) 

A aula de campo surge neste contexto como forma inovadora para o trabalho do professor(...),motivando o aluno a adquirir novos conhecimentos(...)

(SENICIATO & CAVASSAN, 2004)

 

Proposta de Aula de Campo

Proponha para seus alunos que eles passem um dia observando as paisagens de seu município do ponto mais alto do mesmo, depois divida a sala em pequenos grupos de 06 alunos, e que cada grupo possua uma maquina fotográfica e um bloco de folhas na mão para poderem fazer anotações. No caso do meu município Volta Redonda, o ponto mais alto se localiza no bairro retiro de onde perfeitamente as diferentes formas de relevo contornando a cidade. Abaixo algumas imagens:

 

 

  

 

 

              

                                                                         

Conclusão

Em virtude do que foi mencionado acima se conclui que as aulas de campo e a atividade proposta são de suma importância uma vez que aproxima o aluno do meio natural e torna as aulas de Geografia mais interessante e até mesmo, mas dinâmica. Além disso, quando os educadores optam por usar uma estratégia diferente da convencional, o professor retira o aluno da posição de espectador e o coloca na de construtor de informação. Outro fator que contribui é o uso da tecnologia na realização de trabalhos com internet dentro do ambiente escolar, no entanto devemos utilizar medidas alternativas inovadoras para transformar o conhecimento adquirido em sugestões do dia a dia.

Por isso a atividade pratica gera uma participação maior do aluno no argumento da classe, oportunizando a construção do próprio conhecimento, de forma mais critica e podendo assim surgir sugestões para melhoria das aulas. Recomendamos que vocês leiam alguns artigos como: A perspectiva geomorfológica: subsídios a analise ambiental e O que devo ter em mente ao interpretar o relevo.

 

 

Referências Bibliográficas

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Ensino de Historia: fundamentos e métodos. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

 

ROSS, J. S, Geomorfologia: Ambiente e Planejamento. In: OLIVEIRA, A. U. (Org.). Coleção repensando a Geografia. São Paulo: Contexto, 1990.

 

SENICIATO, Tatiana; CAVASSAN, Osmar. Aulas de campo em ambientes naturais e aprendizagem em ciências: um estudo com alunos do ensino fundamental, Ciência e Educação (Bauru), Bauru, v. 10, n. 1, p. 133-147. Disponível em: http://www.scielo.br Acesso em: 26 abril 2010.  

Revisado por Editor do Webartigos.com