Artigo - Um Operador do Direito e cidadão de caráter Roberto Ramalho é advogado, relações públicas e jornalista O juiz Sergio Moro, um dos maiores e melhores magistrados desse país, recusou a medalha do mérito legislativo que receberia da Câmara dos Deputados, por indicação de Rubens Bueno (PPS-PR), na próxima semana. Ele agradeceu o prêmio, mas disse que, como há “parlamentares federais denunciados” na Lava Jato, não se sente “confortável” em recebê-lo. Escreveu o magistrado: “Poderia ser mal interpretado ou gerar constrangimento”. Todavia, como prêmio de consolação, foi eleito o "Brasileiro do Ano de 2014" pela Revista Semanal "Isto É" e considerado uma das cem personalidades mais influentes do Brasil em 2014 pela Revista Época. Também, na décima segunda edição do Prêmio Faz Diferença do jornal O Globo, foi eleito a "Personalidade do Ano" de 2014 pelos seus relevantes trabalhos a frente das investigações Operação Lava Jato. Segundo a Enciclopédia Wikipedia, Sérgio Fernando Moro é filho de Odete Starke Moro e Dalton Áureo Moro, ex-professor de geografia da Universidade Estadual de Maringá. Sérgio formou-se em direito pela Universidade Estadual de Maringá em 1995, tornando-se juiz federal em 1996. Também cursou o programa para instrução de advogados da Harvard Law School em 1998 e participou de programas de estudos sobre lavagem de dinheiro promovidos pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos. É Mestre e Doutor em Direito pela Universidade Federal do Paraná. Atualmente é Juiz Federal da 13.ª Vara Criminal Federal de Curitiba, ministra aulas de processo penal na UFPR e comanda a operação Lava Jato.Moro é casado e tem dois filhos. O juiz Sérgio Moro, além da Operação Lava Jato, também conduziu o caso Banestado, que resultou na condenação de 97 pessoas, bem como tendo atuado na Operação Farol da Colina, onde decretou a prisão temporária de 103 suspeitos de evasão de divisas, sonegação, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, entre eles, o doleiro Alberto Youssef. Durante o Escândalo do Mensalão, a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber convocou o juiz Sergio Moro para auxiliá-la, em face da sua especialização em crimes financeiros e no combate à lavagem de dinheiro. O magistrado já foi indicado pela Associação dos Juízes Federais do Brasil (AJUFE) para concorrer a vaga deixada por Joaquim Barbosa no STF, não obtendo êxito. Concluindo, nossa magistratura tem poucos juízes como esse, infelizmente. Porém, pessoalmente acredito que o simples fato desse magistrado atuar pelo efetivo cumprimento da legislação em vigor e demonstrar honestidade e competência, esse país ainda tem esperança.
Revisado por Editor do Webartigos.com