O mundo tem uma sintonia.

Uma sintonia.

Idiossincrática.

O mundo tem uma acepção.

Lexicológica.

Um eidos helênico.

Uma metamorfose às avessas.

Um girador indelével.  

O mundo é discreto.

Entretanto, parcialmente assertórico.

Parcimonioso.

Incompreensível e risonho.

O mundo é perigoso é melancólico.

Um disparate medonho e assustador.

Entretanto, com a mesma lógica.

Com igual grito de dor.

O mundo tem um olhar torto.

Outro manco, a fortiori.

Sendo sua natureza assombração.

O que devo pensar dessas coisas.

A história da desagregação tribal.

Então, todo mundo quer ser grande.

Sonolento e imperceptível.

Sendo o mundo sua recordação.

Professor: Edjar Dias de Vasconcelos.

Revisado por Editor do Webartigos.com