A FACE DAS PALAVRAS
À palavra a pessoa dá quantas faces almejar.

O silêncio não se mostra
Porque nunca corta
O espaço.

A palavra aparece
E de maneira inconteste
Sempre se revela.

Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo.
Provérbios de Salomão, cap. 25:11.

Resultado de imagem

Rei Salomão

Portanto, medir cada palavra
É ficar de máscara
No meio da humana massa.

Você não sabe a cor do Ar,
Mas sabe a cor da Água
Que vai a sua sede saciar.

O SILÊNCIO
No silêncio ouvimos melhor.

O silêncio
É um prêmio
Que toda pessoa ganha
E não o barganha
Pelo barulho.

Ninguém o vê
Nem o escuta
Porque nunca disputa
Com o vozerio.

Ele existe,
Mas insiste
Em não emitir som.

COMPETIÇÃO VERBAL
Não competir com palavras é enriquecer-se.

O ser humano recebe
O dom de falar
Para aprender a se governar.

Como galho de espinhos na mão do bêbado, assim é o provérbio na boca dos insensatos.
Provérbios de Salomão, cap. 26:9.

Resultado de imagem

Rei Salomão

Cada palavra é uma espada
Que fere ou honra,
Quem a comanda
Nunca se envergonha.

Revisado por Editor do Webartigos.com